"A todos os amigos e visitantes de passagem por esse meu mundo a preto e branco lhes desejo um bom entretenimento, seja através de textos com alto teor poético, através de fotos que uso para compor esse espaço ou das notas musicais na voz de Nara Leão... que nem vejam passar o tempo e que voltem nem que seja por um momento!"

28 de fev de 2011


Caliente

A orquestra atacou em ritmo de tango.
Ela abriu a boca num sabor morango
e rodopiou.
Ele a enlaçou satisfeito,
estufou o peito,
tentou o passo.
O bigodinho engomado,
cheirando a brilhantina o cabelo empastado,
uma decadência, um descompasso.
(Às vezes solene, às vezes safado.)
Ela equilibrou enquando pôde
a rosa no decote
até que o som entrou em foxtrote
e ela se descompôs:
ressurgiu o brilho sob o pó-de-arroz
e as rodas de carmim a colorir a face
desbotaram-se até que nada mais restasse.
Antes que a música mudasse novamente,
ele insinuou-se num sorriso convincente,
ela cedeu.
Foram se beijar num canto escuro,
com a lua enternecida por detrás do muro
e sobre a rosa amanhecida o dia apareceu.

Flora Figueiredo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não creias nos meus retratos, nenhum deles me revela.
Os meus retratos são vários e neles não terás nunca o meu rosto de poesia.

Gilka Machado