"A todos os amigos e visitantes de passagem por esse meu mundo a preto e branco lhes desejo um bom entretenimento, seja através de textos com alto teor poético, através de fotos que uso para compor esse espaço ou das notas musicais na voz de Nara Leão... que nem vejam passar o tempo e que voltem nem que seja por um momento!"

30 de set de 2012


As notas da madrugada 

As notas enfeitam a madrugada
 que vem já nascendo
 as lágrimas enfeitam a dor 
que já vem doendo 
o vento baloiça nas árvores 
que vão já gemendo 
o sol beija as flores 
que vão já se abrindo e eu toco 
este violino que vai já cuspindo 
toda a saudade que sente 

 e eu dedilho este violino 
que vai já bramindo 
num tom compassado 
a solidão que se vai passeando 
cá deste lado os passos que vão seguindo 
descontinuados 
aos tropeções 
as mágoas que vão se soltando
 que nem balões 
que se agitam no céu 

 As horas que vão morrendo 
no tempo enquanto eu me vou acabando 
 e desfalecendo nesta melodia sem sentido 

  São Reis

29 de set de 2012


O Silêncio do Piano 

 Na espera do encontro 
no eco da distância 
na mudez do filme 
no salto da personagem 
na vedação do jardim 
no banco da impaciência 
na raiz dos sustenidos 
no bolso das fisgas 
na sombra dos bemóis 
no dédalo das árvores 
na brincadeira dos meninos 
no favor das circunstâncias 
na paixão dos cativos 
no espelho das notas naturais

 o piano do silêncio 
o silêncio do piano 

 o piano 

 o silêncio

  Carlos Alberto Silva - Edison Woods

26 de set de 2012


Mais uma vez prados 

 São os sinos, 
são os sinos de igreja que 
no meio da noite 
me atormentam. 

 São as escadas espirais
 talhadas em pedra e traição.

 É a janela do quarto, 
retângulo de madeira, 
aberta de madrugada
 e um lobo-guará 
como guarda-noturno. 

 São os sinos da igreja
 ou o grito desesperado
 de uma requinta 
anunciando os dias escoados. 

  Heitor Ferraz Mello

23 de set de 2012


Carta de amor 

 Despi-me... vê se me queres, 
 Despi-me com impudor, 
 Que é irmão do desespero. 
 Vê se me queres, 
 Sabendo que te não quero, 
 Nem te mereço, 
 Nem mereço ser amado 
 Pela pior Das mulheres... 
 Poderás amar-me assim, (como explicar-me?!) 
 Por qualquer cousa que eu for, 
 Mas não por mim! 
 Não a mim...! 

  José Régio

22 de set de 2012


Espectro de Mim 

Como nau perdida na noite,
sem destino, sem horizontes...
Assim eu sou:
- Espectro do que fui.
Apenas um vulto,
cara a cara com a solidão.
Sem rumo, sem certezas,
sem perspectivas...
Sem você.
Uma sentença em aberto...
Sem ponto final!

Regina Helena