"A todos os amigos e visitantes de passagem por esse meu mundo a preto e branco lhes desejo um bom entretenimento, seja através de textos com alto teor poético, através de fotos que uso para compor esse espaço ou das notas musicais na voz de Nara Leão... que nem vejam passar o tempo e que voltem nem que seja por um momento!"

22 de dez de 2012


O jogo do mundo 

 O jogo da macaca joga-se com uma pedra que tem de se empurrar com a biqueira do sapato. Ingredientes: um passeio, uma pedra, um sapato e um belo desenho feito com giz, de preferência colorido. O Céu está lá ao fundo e a Terra aqui em baixo, é muito difícil acertar com a pedra no Céu, calcula-se quase sempre mal e a pedra sai do desenho. Pouco a pouco, no entanto, vai-se adquirindo a habilidade necessária para acertar em todas as casas (a macaca em caracol, rectangular, de fantasia, pouco utilizada), e um dia aprende-se a sair da Terra e a levar a pedra até ao Céu, até chegar ao Céu (…); o problema é que é precisamente nessa altura, quando quase ninguém aprendeu ainda a levar a pedra até ao Céu, que a infância se acaba e de repente se cai nos romances, na angústia inútil, na especulação de outro Céu ao qual também é preciso aprender a chegar. E como já se saiu da infância (…) esquece-se que para chegar ao Céu são necessários uma pedra e a biqueira do sapato, como utensílios básicos. 

  Julio Cortazar

2 comentários:

  1. Vengo del blog de sensibilidadeanavegarcompoesias y me ha encantado tu Rincón; por lo cual, si no te importa, me gustaría ser seguidor de tan bello Espacio, que es el Tuyo.
    Um abraço.

    ResponderExcluir


  2. ☆☆
    ☆A☆
    ☆fé☆
    ☆luz☆
    ☆amor☆
    ☆união☆
    ☆alegria☆
    ☆sucesso☆
    ☆esperança☆
    ☆realização, paz☆
    ☆saúde, sabedoria☆
    ☆prosperidade, perdão☆
    ☆e grandes belas amizades☆
    ☆esses são os meus votos de☆
    ☆um☆
    ☆feliz☆
    ☆natal☆
    ☆e um☆
    ☆2☆
    ☆0☆
    ☆1☆
    ☆3☆
    ☆cheio☆
    ☆de grandes realizações☆
    ☆☆Poeta Francis Perot☆☆

    FELIZ NATAL E PROSPERO ANO 2013

    ResponderExcluir

Não creias nos meus retratos, nenhum deles me revela.
Os meus retratos são vários e neles não terás nunca o meu rosto de poesia.

Gilka Machado